Diário de Leitura

Diário de Leitura: Salvação Mortal - J.D RoBB

janeiro 22, 2018

Olá pessoas! Hoje vamos falar sobre um livro de uma série que eu AMO muito, a série Mortal!

Salvação Mortal - J. D. Robb
Série: Mortal #27
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 448
Nota: 5/5

Sinopse: A corajosa tenente Eva Dallas enfrenta um caso em que o sagrado e o profano compartilham um estranho convívio.
Segundos depois de partir o pão e beber o vinho durante a Consagração em uma missa, o padre Miguel Flores morre no altar. A tenente Eve Dallas confirma que o vinho consagrado continha cianeto de potássio em dose suficiente para matar um rinoceronte. A autópsia revela cicatrizes antigas de ferimentos a faca, uma tatuagem removida cirurgicamente e evidências de uma plástica de reconstrução facial. Tudo isso mostra que o “Padre Flores” provavelmente não era quem seus paroquianos tanto admiravam. 
Agora, enquanto as peças começam a se encaixar e revelam roubo de identidade, ligações com gangues e um possível ato pessoal de vingança, a tenente Dallas se propõe a descobrir o nome do autor desse ato nada sagrado. Ela só não contava que um acontecimento inesperado, ocorrido diante de uma multidão ainda maior de fiéis, tirasse por completo a investigação dos trilhos.


Diário de Leitura

Diário de Leitura: Sangue na Neve - Jo Nesbo

janeiro 19, 2018

Queria que fosse possível tocar vinhetas de abertura no blog. Talvez eu precise de um canal no YouTube. risos. Olá pessoas! Hoje vamos falar sobre Jo Nesbo, e minha pequena decepção. Sorry!

Sangue na Neve - Jo Nesbo
Editora: Record
Páginas: 154
Nota: 3/5

Sinopse:  O mestre do thriller escandinavo está de volta. Olav tem apenas um talento: matar pessoas a sangue-frio. Não há nada que ele preze mais que ter o poder sobre a vida e a morte. Porém, sua natureza sensível é proporcional às suas habilidades como matador de aluguel. Uma vez tentou roubar bancos, mas não deu certo – ele se sentiu tão culpado que foi visitar uma das vítimas no hospital. Agenciar mulheres para prostituição, idem – Olav se apaixona muito fácil. O assassinato foi tudo que lhe restou.
Ele leva uma vida solitária em Oslo até se ver envolvido em um trabalho importante para um dos mais perigosos chefes do crime organizado na cidade, Daniel Hoffman. Ao aceitá-lo, Olav finalmente conhece a mulher da sua vida, mas logo se depara com dois problemas. O primeiro é que ela é a esposa do chefe. E o segundo é que ele foi contratado para matá-la.

Diário de Leitura

Diário de Leitura: O Rei - J.R Ward

janeiro 18, 2018

Olá pessoas! Sim, estou tentando tirar o atraso e cumprir meu objetivo de postar comentários sobre os livros que leio, assim que termino de ler. Será que vou conseguir? Talvez não, mas vamos seguir com o baile.
O Rei - J.R. Ward
Série: Irmandade da Adaga Negra #12
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 684
Nota: 4/5

Sinopse: Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma furiosa guerra entre vampiros e seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por guerreiros vampiros defensores de sua raça.
Depois de recusar seu trono por séculos, Wrath finalmente assumiu o manto de seu pai – com a ajuda de sua amada companheira. Mas a coroa pesa fortemente em sua cabeça. Enquanto a guerra com a Sociedade Redutora continua, e a ameaça vinda do Bando de Bastardos está prestes a acontecer, Wrath é forçado a fazer escolhas que colocam em risco tudo e a todos.
Beth Randall pensou que sabia em que estava se metendo quando ela se relacionou com o último vampiro puro-sangue no planeta: não seria nada fácil. Mas quando ela decide ter um filho, percebe que não está preparada para a resposta de Wrath – ou o afastamento que essa decisão criaria entre eles.
A questão é: o amor verdadeiro vencerá... ou será derrotado pelo passado sombrio?

Diário de Leitura

Diário de Leitura: Amante Finalmente - J. R. Ward

janeiro 17, 2018

Olá pessoas! Hoje vim falar sobre este que foi o primeiro livro que eu li em 2018 (apenas 18 dias atrasada, né, mas quem nunca?

Amante Finalmente - J. R.Ward
Série: Irmandade da Adaga Negra #11
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 700 
Nota: 4/5


Sinopse: Qhuinn está acostumado à solidão. Repudiado por sua linhagem e evitado pela aristocracia, ele finalmente encontrou uma identidade como um dos lutadores mais brutais na guerra contra a Sociedade Redutora. Mas sua vida não está completa. Mesmo que a perspectiva de ter uma família esteja ao seu alcance, ele está vazio por dentro, com o coração entregue a outra pessoa....
Blay, depois de anos de amor não correspondido, acredita já ter superado Qhuinn. E já era hora: o homem parece ter encontrado o seu par ideal em uma fêmea Escolhida, e eles terão um filho, exatamente como Qhuinn sempre quis. O destino parece ter levado a vida desses vampiros soldados em direções diferentes...
Mas a batalha pela liderança da raça se intensifica, e os novos jogadores na cena de Caldwell estão criando um perigo mortal para a Irmandade. Qhuinn finalmente descobre a verdadeira defini-ção de coragem, e os dois corações que estão destinados a ficar juntos... finalmente se tornam um.

Leituras

Desafios literários de 2018

janeiro 17, 2018

Olá pessoas!

Antes de começar de fato a falar sobre as metas de leitura que estabeleci para esse ano, vou fazer um breve resumo do que li em 2017. Foi bem pouco, para os meus parâmetros, como vinha acontecendo nos últimos anos. Aqui vai:


  1. O Martelo de Thor - Rick Riordan (Nota: 5/5)
  2. Amante Libertada - J.R. Ward (Nota: 4/5)
  3. Amante Renascido - J.R. Ward (Nota: 3/5)
  4. O Teste - Joelle Charbonneau (Nota: 3/5)
  5. Estudo Independente - Joelle Charbonneau (Nota: 3/5)
  6. A Formatura - Joelle Charbonneau (Nota: 3/5)
  7. Um Sopro de Neve e Cinzas parte 2 - Diana Gabaldon (Nota: 5/5)
  8. O Escorregador de Gelo - Lemony Snicket (Nota: 4/5)
  9. Estranheza Mortal - J.D. RoBB (Nota:4/5)
  10. Baratas - Jo Nesbo (Nota: 4/5)
  11. Os Miseráveis - Victor Hugo (Nota: 5/5)
  12. Ecos do Futuro parte 1 - Diana Gabaldon (Nota: 5/5)
  13. Ecos do Futuro parte 2 - Diana Gabaldon (Nota: 5/5)
  14. The Girl From Everywhere: O Mapa do Tempo - Heidi Heillig (Nota: 4/5)
  15. A Praça do Diamante - Mèrce Rodoreda (Nota: 5/5)
  16. Chronos: Viajantes do Tempo - Rysa Walker (Nota: 4/5)
No total, foram 16 livros. Uma mixaria quando paro para lembrar dos bons tempos... Desses, Os Miseráveis foi o livro que mais me surpreendeu - além de ter sido o grande desafio do ano. Quando comecei a ler tive a ~brilhante~ ideia de fazer posts semanais aqui no blog contando minhas impressões, mas não rolou, né mesmo? Enfim, vida que segue. Graças às entidades que olham pelos leitores, consegui terminá-lo, apenas uma semana fora do prazo (eu mereço um desconto porque os últimos meses do ano passado foram FODAS, para dizer o mínimo). Uma curiosidade: li Estudos Independentes e A Formatura (livros 2 e 3, respectivamente, da trilogia O Teste) durante meus vôos de ida e volta para Natal, no Rio Grande do Norte. Para finalizar: ESTOU ÓRFÃ DE OUTLANDER, me ajuda. É isso.

Agora vamos ao que realmente interessa: *tambores rufando* Minha mais-do-que ambiciosa meta literária de 2018! 

Este ano não vou tentar me enfiar em desafios, apesar de estar morrendo por dentro porque já vi váááários muito legais em alguns Intas literários que eu sigo, e tá díficil, mas vou manter o foco. Para começar o ano com chave de ouro, preparei uma lista com #12LivrosPara2018, inspirada pela Tati Feltrin, do Tiny Little Things. Segue minha listinha:




Fevereiro: Crime e Castigo - Fiódor Dostoiévski
Março: A Queda - Guillermo del Toro e Chuck Hogan
Abril: Perto do Coração Selvagem - Clarice Lispector
Maio: Garota Exemplar - Gillian Flynn
Junho: 1984 - George Orwell
Julho: A Dança dos Dragões - Geroge R. R. Martin
Agosto: A Hora das Bruxas volume 1 - Anne Rice
Setembro: O Lar da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares - Ransom Higgs
Outurbo: It - A coisa - Stephen King
Novembro: O Mundo de Sophia - Jostein Gaarder
Dezembro: Battle Royale - Koushun Takami

Essa é a meta realista. Agora vem a parte realmente desafiadora: ler, contando com estes 12 acima, 80 livros em 2018. Sim, você leu direitinho OITENTA. Fiz as contas e tenho 103 livros encalhados na estante. Decidi que preciso fazer alguma coisa sobre isso, e o jeito que eu encontrei foi separar tudo bonitinho em meses e estabelecer metas diárias. Fiz um cronograma real. Para obter sucesso, devo ler, em média, 85 páginas por dia. Uma baba, certo? (tenho lido mais de 200/dia, vamos ver como vai ser conforme o ano for correndo). Até defini quais livros vou ler em cada mês. Por mais que seja meio ruim, eu preciso muito que alguém, nesse caso eu mesma, me pegue na mão e fale "faz isso aqui (ou, no caso lê isso aqui)", então foi preciso. 

Maaaaaaaas, isso não é tudo! (tipo propaganda da Polishop e seus produtos multi-uso).

Em dezembro eu assinei a TAG - Experiências Literárias. Para quem não sabe, a TAG é um clube assinaturas de livros que são escolhidos por um curador, geralmente outros escritores conceituados, além de acompanhar uma revista que fala sobre o curador, o autor o livro e seu universo e um presentinho secreto. Desde o ano passado, se eu não me engano, eles começaram a fazer só edições exclusivas e eu tava querendo assinar fazia tempo, ai me dei de presente de natal. Ai eu resolvi renovar minha assinatura por um ano (para ganhar um carimbo ex libris? Sim, mas quem nunca caiu nas jogadas de marketing?). Enfim, se alguém ai tiver interesse, usa esse código GAB9CZKJ, assim eu e você ganhamos R$35 reais para usar na loja online deles - que aliás é exclusiva também para quem é assinante. Ajuda nóis!

Bom, depois dessa propaganda gratuita (acho que eles deviam me contratar), só tenho a dizer que vocês podem incluir mais 12 livros ai. Ou SEJE, 92. Eu tô, ó, bem ferrada. mas fui eu mesma quem me meti nessa roubada (que não é nenhum sacrifício, na moralzinha)

Já li 5, dos nove livros programados para esse mês (eram 8, mas viraram 9 e vão virar 10, quando eu finalmente puser as mãos na minha caixinha desse mês da TAG. Recebo na casa dos meus pais, no interior *chora*). 

Ambiciosa, eu? Magina. Mas, depois dessas cinco leituras que já fiz, percebo que estou passando bem menos tempo no celular e nas redes sociais e me dedicando de verdade a ler. Coisa que eu fazia muito bem na infância e adolescência e acabou ficando um pouco de lado nos últimos anos. 

É isso! Vou tentar atualizá-los mensalmente sobre o meu progresso. Mas você pode me acompanhar também no Skoob (vamos tudo ser migas lá, por favor). 


O que acharam da minha meta? E quais são as suas? Me conta!!

📚📚📚📚📚

Diário de Leitura

Diário de leitura: O Morro dos Ventos Uivantes - Emily Brontë

janeiro 11, 2018

 





"Seja de que forem feitas nossas almas, a dele e a minha são as mesmas"
Enrolei a vida inteira para ler esse livro. Ok, mentira, foram ~apenas~ 7 anos. Ganhei essa edição da minha BFF em 2010, mas nunca chegava a vez dele ser lido. Mas, como tudo na vida tem seu tempo, finalmente chegou o dia em que eu li O Morro dos Ventos Uivantes *clap clap clap*.

Muita gente deve ter conhecido esse livro por conta da saga Crepúsculo, ele era o livrinho de cabeceira da Bella. Minhas memórias são meio confusas porque eu sempre soube da existência, por exemplo, de Jane Eyre, livro de Charlotte Brontë, uma das irmãs da Emily Brontë, mas não consigo me recordar se já tinha ouvido falar de O Morro dos Ventos Uivantes, ou se esse conhecimento se deu por conta daqueles vampiros. Enfim, Ana Luiza me deu o livro de aniversário em 2010 e eu nunca li.

Esse ano O Morro dos Ventos Uivantes finalmente saiu da minha estante e entrou para a pilha de meta de leitura (que, preciso dizer, é bem ambiciosa e eu prometo que farei um post sobre ela). Enfim, li e vim aqui falar o que achei.

Primeiramente, para quem não conhece o livro, a história se passa em Yorkshire, no século XVIII e gira em torno de duas famílias: Earnshaw e Linton. Nossos personagens principais são Catarina Earnshaw e Heathcliff, este último um jovem rapaz maltrapilho que o Sr. Earnshaw, pai de Cathy, adotou em uma de suas andanças. Cathy e Heathcliff crescem criados meio que juntos e, como não poderiam deixar de ser em um romance, se apaixonam. Porém, engane-se quem pensa (tipo eu) que o Morro dos Ventos Uivantes é um romance de época água-com-açúcar. Na na não. 

Começando pelos personagens que, em sua maioria, se odeiam. Tipo, ódio real, ódio de querer matar o outro. A Cathy é um nojo de pessoa. Ela é extremamente mimada, egoísta e impulsiva. Basicamente um ser desprezível. Mas tem seus momentos, né? O Heathcliff é outro intragável. Ele tem seus motivos, mas né, difícil de gostar.  O irmão da Catarina, Hindley Earnshaw, é outro doente que faz da vida de Heathcliff um grande inferno.  Na família Linton, os personagens que importam no fim das contas são os dois jovens irmãos, Edgar e Isabel (ou Isabella, na minha edição é Isabel). 

Enfim, esse povo todo cresce e cada um toma uma rumo na vida: Cathy vira uma madamezinha refinada e faz suas escolhas. Não quero dar "spoilers" sobre o acontecido (apesar de que, né, já tá na estrada há séculos). Enquanto Heathcliff nutre cada vez mais profundamente um ódio por tudo e todos e faz de tudo e mais um pouco para arquitetar e executar sua vendetta contra os Earnshaw e os Linton tudo de uma vez. 

No meio disso tudo, Cathy e Heathcliff, de uma forma retraída, tem uma louca obsessão um pelo outro. Especialmente da parte dele. Fui bastante surpreendida porque eu esperava MESMO um romance do tipo mocinho-salva-mocinha. Eu conhecia o básico, como a Catarina morrer e tal, mas eu imaginava o enredo de uma maneira completamente diferente do que realmente é.

Agora entendo porque é considerado que Emily Brontë inovou a literatura inglesa e porque este livro é um clássico. A maior parte história é contada em 3ª pessoa por uma empregada/governanta da casa, mas quem começa e termina a narrativa é o sr. Lockwood, o novo locatário de uma residência nessas terras. O antagonismo dos personagens é outro ponto que me fisgou, é totalmente diferente de tudo o que já li. Não tem anti-heroi virando mocinho. Não tem final feliz (até tem, mas é até lá, foi merecido, quase que como um alívio depois de tantos sentimentos ruins). Fiquei irritada e nervosa o livro inteiro, mas é indiscutivelmente uma das melhores leituras que já fiz.

Para finalizar, sugiro fortemente que vocês escutem a música Wuthering Heights (composta por Kate Bush nos anos 1970) na versão do Angra. Sou viciada nela faz muitos anos e, agora que li o livro, nossa, amo muito mais!