BEDA 2017

BEDA #20- TAG: Minha letra é assim

agosto 20, 2017

Nem acredito que hoje já é dia 20 e que eu estou aqui, firme e forte e quase falecendo. Para celebrar esse momento de grande vitória vou apresentar minha bela só que não caligrafia para vocês. Vi esse meme/tag (cada um chama do jeito que quiser) no Beyond Cloud Nine e achei super válido responder também (e eu estava sem ideias de pauta para o dia de hoje).

Enfim, vamos ao que interessa! Primeiramente, as perguntas:

1. Qual o seu nome?
2. URL do seu blog?
3. Escreva: "The quick brown fox jumps over the lazy dog".
4. Citação favorita?
5. Música favorita no momento?
6. Cantor/banda favorita no momento?
7. Diga o que quiser.
8. Indique 3 ou 5 blogs.


As respostinhas:



E a "tradução" da minha letra para quem não conseguiu entender:
  1. Gabriela
  2. odecimoterceiroandar.blogspot.com
  3. The quick brown fox jumps over the lazy dog
  4. "In 900 years of time and space, I've never met anyone that wasn't important"
  5. All I Want - A Day to Remember
  6. A Day to Remember
  7. Não sei o que escrever
  8. Cêis tudo ai que leram esse post!
Sou destra e estou num momento muito intenso de ouvir A Day To Remember (tenho isso umas duas vezes por ano, passo dias e dias só ouvindo eles). 

Quero conhecer a letra de vocês todos! Se fizerem a TAG não esqueçam de deixar o link aqui! 

💛

BEDA

BEDA #18 - O que postar?

agosto 18, 2017

Olár pessoinhas! Como você estão? Eu queria dizer que estou achando maravilhoso conhecer novos blogs e ter essa interação bacana proporcionada pelo BEDA. Tenho ficado muito feliz com os comentários que recebo e isso, migas, tá me ajudando a não desistir. Então, muito thanks!

Eu tinha colocado na minha pauta para hoje escrever sobre "querer ser escritora, mas não conseguir escrever". Então, bom, sentei para escrever o post, e voilà, não consigo escrever. Muito bom, né? Tudo bem que a intenção era falar sobre não conseguir escrever, tipo, um livro. Mas se eu não tô sedo capaz de fazer post, imaginem, então, vomitar no Word uma história grande e publicável? Bem difícil. 

Acho que já comentei por aqui que tenho uma história de com 40 mil palavras já escritas, mas não consigo voltar para ela. Eu tenho tudo bonitinho, personagens, backstories, resumo de enredo, etc. etc. Só que toda a maldita vez que pego nela para escrever, me vem um bloqueio gigantesco e eu não sei como continuar. É foda. 

Essa semana dei uma olhada nuns arquivos antigos e encontrei um texto que escrevi. É meio que o começo de uma outra história. Não me lembro quando escrevi, nem qual era o rumo que isso ia tomar, nem se tinha um rumo: às vezes eu tenho dessas de imaginar cenas na minha cabeça que são super legais, ai eu escrevo, mas só fico com aquilo ali solto. 

Agora tô com vontade de sentar um pouco e pensar sobre esse texto que escrevi, dar mais forma para ele, criar o resto da história. Mas não consigo, porque na minha cabeça eu preciso terminar uma coisa antes de começar outro. Ai não faço nada. 

Enfim, esse post é meio que um tapa-buraco pro BEDA, mas é também para pedir ajuda: como super um bloqueio criativo que já dura anos? S.O.S.

👽

BEDA

BEDA #17 - Mais um desabafo porque a vida não é fácil

agosto 17, 2017

É muito difícil ser uma pessoa que quer fazer mil e quinhentas coisas, mas ao mesmo tempo não consegue se organizar e acha que vai falhar em tudo. A frase a seguir me descreve bem, aliás:

Eu tenho essa personalidade alegre e uma alma triste no mesmo corpo. Isso fica meio estranho às vezes.

Dito isso: eu não me arrependo de ter me formado em jornalismo, MAS uma sementinha da discórdia está crescendo dentro de mim e me dizendo para mudar de área. E outra diz que eu preciso seguir meus sonhos e não estou conseguindo por conta de uma série de coisas, e então nunca vou conseguir realizá-los. E tem outra que diz que sonhos são para crianças e pessoas privilegiadas e que a vida real não permite que a gente perca tempo com eles. 

Eu não sei o que fazer.
Sério
Me ajuda.

Apesar de eu ter feito uns freelas nos últimos meses, não me sinto mais tão feliz escrevendo para uma revista (que é o que eu sempre amei e quis fazer). Eu tenho me sentido estagnada, desejosa por desafios e por viver coisas incríveis, mas como?

ALGUÉM ME FALA COMO VIVER COISAS INCRÍVEIS, POR FAVOR.

Ultimamente parece que eu não consigo aproveitar nada. Se pego um livro para ler, sinto que deveria estar me dedicando a escrever o meu (já que esse é meu maior sonho). Se estou assistindo uma série, sinto que estou perdendo tempo na vida e deveria estar procurando emprego ou tentando a sorte com alguma coisa. Se estou trabalhando, sinto que deveria estar me empenhando mais, que o que eu faço não é o suficiente e que eu nunca vou chegar lá.

Tá foda.

Eu quero um desafio novo, ms ao mesmo tempo tenho medo de sair da minha zona de conforto.

Vamos resumir: estou frustrada e ficando louca.

É isso.

BEDA

BEDA #16 - Small Words #2: Trigger Warning

agosto 16, 2017

.darkness

Ela podia sentir em seu âmago que algo se aproximava. Algo envolto em trevas, que trazia dor e desespero. Algo que a perseguia. Ela estava perdida. Mas acima de tudo, ela estava morta. Não havia saída. Não havia escapatória, mas ela correu. Correu, correu e correu, até sentir que o coração explodiria. Cada músculo de seu corpo parecia estar em chamas, mas ela não podia parar. Não havia chance de escapar dali com vida, mas ela não podia parar de correr. Tinha que fugir. Ela sabia que não seria capaz de lutar contra o que a estava perseguindo, não teria forças, não teria coragem, mas não conseguia parar de correr e fugir. Correr, fugir. Correr, fugir. Essas duas palavras pulsavam em seu interior e faziam com que ela se movesse. Uma perna e depois a outra. E de novo. E de novo. Até seu corpo não aguentar mais e traí-la. Caída no chão, rastejou e rastejou, mas ela sabia que era o fim. Não havia saída. Não havia escapatória. Não havia esperança. Nunca houvera. Era só uma questão de tempo até que aquele algo escuro e sombrio a encontrasse. Era só uma questão de tempo até que aquilo a alcançasse. E agora, tempo era tudo o que ela não tinha. Ela sentia aquela escuridão chegar cada vez mais perto. Cada vez mais perto. E mais perto. Mais perto. E mais perto. E mais perto. Até que finalmente o algo, a coisa escura e sombria, envolta em dor e desespero a alcançou. Mas ela, de alguma forma, havia se conformado. Aquele era o fim. Mas não havia mais importância. Aquele era o fim e ela não tentava mais – não queria mais –  correr e fugir. Nunca houvera esperança para ela, e agora que essa certeza preenchia sua mente ela já não se importava. A escuridão havia finalmente chegado e era o fim. E mesmo se ela desejasse com todas as forças não haveria outro fim além daquele. Lenta e bravamente abriu os olhos para encarar o fim. O seu fim. E no momento exato em que um último suspiro percorreu seu corpo ela sorriu.
 E foi o fim.


*Escrevi isso em 2013, quando ainda estava passando por um período bem ~complicado~ da minha vida. Muitos de vocês conhecem essa escuridão, eu tenho certeza, e espero que todos consigam, assim como eu, guardar ela em um cantinho onde ela incomode menos... porque eu sei como é impossível se livrar dela definitivamente. 

BEDA

BEDA #15 - So far so good?

agosto 15, 2017

Eu tenho começado todos os posts do BEDA com "eu nem acredito que consegui postar hoje". Tá ficando ficando feio, eu sei. Mas vai continuar assim. Então, EU NEM ACREDITO QUE CONSEGUI POSTAR HOJE. Vou gritar para o mundo porque não é nada fácil conseguir conciliar a vida pessoal, profissional, os livros, as séries e o blog todos os dias. Eu tinha planejado 31 pautas, mas quero dizer que já troquei tudo de ordem, exclui mais da metade e agora tô aqui, firme e forte e segurando nas mãos de Deus me virando para aparecer com alguma coisa todo santo dia. Mas já se passaram 15, chegamos na metade do mês (inclusive parece que a minha percepção de tempo deu uma mudada esse mês; eu geralmente vejo os dias passando bem rápido porque minha vida é super programada em tudo. Então eu já sei o que vou fazer hoje, daqui a 12 horas, quinta-feira, no dia 22, enfim: vejo os meses passando muito rápido por conta disso. Esse mês, parece que minha relação com o tempo ficou mais ~pé no chão~. Eu tenho sentido a passagem do tempo de forma mais consciente. É esquisito.


Mas vamos ao que interessa, hoje é dia 15 e eu prometi que no dia de hoje faria um post com uma lista dos posts que eu gostei muito, me fizeram rir ou que achei interessantes por N motivos durante essa quinzena de BEDA. Estamos bedando sim senhor e com muita qualidade. A blogsfera é linda e tem um pessoal por ai muito lindo também! Das vantagens do BEDA: conhecer novos blogs e pessoas que sabem fazer malabarismo com as palavras e contar uma história cotidiana como se fosse uma epopeia. 

Nessa categoria, preciso citar, em primeiro lugar, essa visita ao shopping que a Mia Sodré fez com o boy. Sou expert em passar vergonha em público, mas fingir que tá tudo bem. Ainda sobre eventos cotidianos que se tornam grandes aventuras, tem o relato da Michelle sobre sua experiência na academia. Isso me fez lembrar de umas situações que passei há um tempo e dar graças ao universo por ter finalmente achado um lugar em que as pessoas não ficam com olhares de julgamento para sua pessoa sedentária. Por fim, temos que mandar forçar para a Mari que deixou o crush (errado) ler o blog (e depois postou sobre isso no blog, maravilhosa, não?). Aos 45 do segundo tempo vi essa reflexão muito boa da Isadora falando sobre amar a si mesmo. Vale a pena!

Como o BEDA é um negócio poderoso e é bem difícil ser criativo o tempo todo, temos as amigas TAGS para responder durante o mês. Uma que amei e quero fazer em breve foi esta sobre Harry Potter que a Ana, do Suspirare, respondeu com tanto carinho e amô que me fez perceber que já está na hora de reler de novo (sim, reler de novo porque eu já reli, tenderam?) essa série tão maravilhosa, e voltar para esse universo incrível que está sempre de portas abertas. Sou piegas, não me julguem.

Vou deixar aqui uma listinha dos blogs que estou lendo com frequência nesse mês de desafio. Enjoy!


*Tem muuuuuitos outros bloguinhos, eu tinha feito um doc no Word com um listinha que fui salvando no primeiro dia, mas meu computador deu pau e perdi. Désolée.