Crônicas de Amor e Ódio

Diário de Leitura: The Kiss of Deception - Mary E. Pearson #15

abril 11, 2018

Não sei nem por onde começar a falar sobre esse livro maravilhoso e sensível que me fez ficar acordada até tarde lendo muito. Tô apaixonada!

The Kiss of Deception - Mary E. Pearson
Editora: DarkSide
Crônicas de Amor e Ódio #1
Páginas: 406
Nota: 5/5
Sinopse: Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro? 
Quando se vê refugiada em um pequeno vilarejo distante o lugar perfeito para recomeçar ela procura ser uma pessoa comum, se estabelecendo como garçonete, e escondendo sua vida de realeza. O que Lia não sabe, ao conhecer dois misteriosos rapazes recém-chegados ao vilarejo, é que um deles é o príncipe que fora abandonado e está desesperadamente à sua procura, e o outro, um assassino frio e sedutor enviado para dar um fim à sua breve vida. Lia se encontrará perante traições e segredos que vão desvendar um novo mundo ao seu redor.

O romance de Mary E. Pearson evoca culturas do nosso mundo e as transpõe para a história de forma magnífica. Através de uma escrita apaixonante e uma convincente narrativa, o primeiro volume das Crônicas de Amor e Ódio é capaz de mudar a nossa concepção entre o bem e o mal e nos fazer repensar todos os estereótipos aos quais estamos condicionados. É um livro sobre a importância da autodescoberta, do amor, e como ele pode nos enganar. Às vezes, nossas mais belas lembranças são histórias distorcidas pelo tempo.

Diário de Leitura

Diário de Leitura: Noite Eterna - Guillermo del Toro & Chuck Hogan #14

abril 11, 2018

Uma trilogia que começou muito bem, mas do segundo para o último virou aquilo que podemos chamar de "picolé de chuchu". 
Noite Eterna - Guillermo del Toro e Chuck Hogan
Editora: Rocco
Trilogia da Escuridão #3
Páginas: 416
Nota: 3/5
Sinopse: Dois anos após o início da epidemia de vampiros que se alastrou pelo globo, os dias têm apenas duas horas de sol e a humanidade encontra-se à beira da aniquilação. A única esperança de resistência contra o exército do Mestre, o vampiro ancestral, é o grupo liderado por Eph Goodweather. Mas as evidências de que há um traidor entre eles pode pôr em risco o destino da raça humana. Traduzida em mais de 20 países, a série renova as tradicionais histórias de vampiros e surpreende pela originalidade.

Diário de Leitura

Diário de Leitura: O Penúltimo Perigo - Lemony Snicket #13

abril 02, 2018

O Penúltimo Perigo - Lemony Snicket
Desventuras em Série #12
Editora: Cia. das Letras
Páginas: 320
Nota: 5/5

Sinopse: Quem, em prantos, seguiu as Desventuras em Série publicadas pela Companhia das Letras, vai chorar ainda mais com o 12o. e último livro antes do último livro da terrível coleção de Lemony Snicket. Nele, os órfãos Baudelaire enfrentam o odioso Conde Olaf no Hotel Desenlace, onde os horrores se sucedem: uma vilã vestida de alface, gente furtiva perambulando no porão, um relógio sinistro, um açucareiro perdido, uma lavanderia com Cerramento Supravernacular Complexo, um tribunal vendado, pessoas nobres e pérfidas no mesmo barco e um final terrivelmente surpreendente. Porém, o que contém o açucareiro, e o que é C.S.C.? Só saberemos, talvez, num igualmente misterioso 13o. volume.

Como sempre, nenhuma das nossas perguntas foi respondia e meu coração quase que não aguenta a leitura desse livro. Que aflição!

Odeio injustiças, e Desventuras em Série apresenta uma série de injustiças cometidas contas os nobres irmãos Baudelaire por pessoas extremamente pérfidas como o Conde Olaf. A irresponsabilidade dos adultos ao redor dos órfãos me deixa nervosa desde 2005 quando embarquei nessa desaventurada aventura. 

Neste volume, os irmãos conhecem a misteriosa e grávida figura de Kit Snicket. Ela leva os Baudelaire até o Hotel Desenlace, onde eles deveriam estar até quinta-feira para finalmente - quem sabe - descobrir mais sobre C.S.C e salvar  alguns voluntários. 

Porém, é óbvio, tudo se volta contra o trio que, disfarçados de concièrges, são obrigados a atender os hospedes e ao mesmo tempo descobrir coisas úteis - como os planos pérfidos do conde Olaf. Em meio a um mix de pessoas boas e más (alguns difíceis de identificar como um ou outro), os irmãos acabam no meio de um "tribunal cego", no qual os participantes estão literalmente vendados. 

Como sempre, Olaf dá um jeito de triunfar e o Hotel pega fogo. No fim das contas, a única saída dos Baudelaire é tentar salvar a si mesmos, já que ninguém os escuta. À bordo de um barco localizado na cobertura, os irmãos pensam estar à salvo, apesar de se sentirem responsáveis pela tragédia. Eles só não contavam que para sair do incêndio, teriam de dividir o barco com seu maior inimigo.

Meu coração sofre cada vez que os Baudelaire quase escapam por um triz, só para serem capturados. Parece que esses livros foram escritos para fazer a gente passar raiva. Mas né, seguimos firmes.


Agatha Christie

Diário de Leitura: Morte na Mesopotâmia - Agatha Christie #12

abril 02, 2018

Olá pessoas, tudo bem? Tou correndo atrás do tempo perdido para atualizar o blog com minhas últimas leituras (no caso todas as lituras de maço e algumas de fevereiro). Vamos lá, falar da rainha!

Morte na Mesopotâmia - Agatha Christie
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 240
Nota: 5/5
Sinopse:  A enfermeira Amy Leatheran é contratada para se juntar a uma expedição arqueológica no Iraque. Mas sua função ali tem bem pouco a ver com ruínas e artefatos: ela deve vigiar de perto a bela Louise Leidner, que está cada vez mais apavorada com a ideia de que talvez seu ex-marido não esteja tão morto quanto acreditava.

Louise pode estar imaginando coisas. Mas o fato é que, uma semana após a chegada da enfermeira, a mulher é encontrada morta no próprio quarto, e agora cabe a Hercule Poirot identificar o assassino. Quem terá sido? Tudo indica que o culpado está entre os membros da equipe de cientistas...

Minha nossa, o que foi este livro? 

Em geral, não desconfio do final da história nos livro da Agatha e com este não diferente. Desde o começo, quando Amy explica como ela foi parar na expedição, eu imaginei um desfecho 100% diferente do que realmente aconteceu.

Quando Amy chegou à base da expedição arqueológica liderada pelo marido de Louise, ela percebeu que realmente havia uma certa tensão no ar. Todos pareciam estar no limite, especialmente a "enferma" Louise. É claro que a maioria das pessoas achava que ela estava louca, mas depois que a história vem a tona, percebe-se que ela tinha motivos.

O caso é o seguinte: Louise fora casada anos atrás com um cara e depois se separou. Só que, segundo ela, ele enviava bilhetes com ameaças de morte cada vez que ela chegava perto de se casar novamente. Só que, passado um tempo, o ex-marido morreu e ela sentiu que poderia finalmente se casar de novo quando conheceu o dr. Leidner, chefe da expedição. 

O problema é que ela voltou a receber esses bilhetes e entrou em pânico - além de jurar que vira alguém em sua janela não muito antes da chegada da enfermeira. Dias depois, a mulher é encontrada morta em seu próprio quarto e ninguém vê ou ouve nada. 

Nosso querido Poirot entra em cena e o mistério parece um tanto peculiar. Em meio a alguns desafetos e a total falta de pistas, o detetive junta os pedaços do quebra-cabeça até finalmente descobrir a solução. E que solução! Fiquei até abobalhada quando finalmente revelou-se quem era o assassino. Nem nos meus mais loucos sonhos eu imaginaria algo do tipo. Ponto para a rainha!

📗📗📗📗

Diário de Leitura

Diário de Leitura: Headhunters - Jo Nesbo #11

abril 01, 2018

Mais uma da série "se eu tivesse começado a ler Jo Nesbo por este livro, não teria gostado". Mas não é que o livro é ruim, é meio... confuso. 

Headhunters - Jo Nesbo
Editora: Record:
Páginas: 238
Nota: 4/5
Sinopse: Roger Brown é o melhor headhunter da Noruega. As maiores empresas do país contam com seu faro na hora de escolher os executivos que ocuparão cargos de liderança. Casado com uma mulher deslumbrante, dona de uma badalada galeria de arte, Roger mora em uma mansão construída por um renomado arquiteto. Aparentemente, ele tem a vida perfeita, mas é cada vez mais difícil arcar com os custos dela. E Roger só consegue isso roubando obras de arte e vendendo-as para o mercado negro. Até que surge em seu caminho Clas Greve, um executivo holandês de alto gabarito. Greve é um achado duplo: além de ser o candidato perfeito para um cargo altíssimo, também possui um valioso e desejado quadro do pintor flamengo Rubens, que se acredita estar perdido desde a Segunda Guerra Mundial. Se conseguir colocar as mãos em sua presa, Roger finalmente poderá dar fim a suas atividades no mercado negro de arte e assumir a vida perfeita que sempre sonhou. Mas há outro caçador nesse jogo, e os riscos que Roger corre podem colocá-lo em um terrível pesadelo.

Diário de Leitura

Diário de Leitura: Retorno a Brideshade - Evelyn Waugh #10

fevereiro 14, 2018

Primeiro livrinho da TAG de 2018 (que eu só consegui ler em fevereiro, por motivos de: meta ambiciosa de leitura, que tem consumido minha vida. 

Retorno a Brideshade - Evelyn Waugh
Editora: Companhia. das Letras + TAG Livros
Páginas: 390
Nota: 5/5
Sinopse: Obra decisiva de Evelyn Waugh, o mais mordaz dos escritores ingleses, Retorno a Brideshead narra as lembranças do capitão Charles Ryder, que durante a Segunda Guerra reencontra a mansão dos Bridehead, cenário de momentos cruciais de sua vida. Da teia de recordações emerge o retrato magistral de uma família em processo de desagregação.

Diário de Leitura

Diário de Leitura: A Filha da Floresta - Juliet Marillier #9

fevereiro 14, 2018

Faz muito tempo que um livro me fez chorar tanto quando Filha da Floresta. Demorei anos para ler e, ao mesmo tempo que me arrependo de ter tomado conhecimento dessa história tão bonita antes, sinto que eu não estaria preparada para lidar com os acontecimentos do livro se tivesse lido logo que ele foi lançado (e que eu comprei).

Filha da Floresta - Juliet Marillier
Trilogia Sevenwaters: Livro #1
Ediora: Butterfly Editora
Páginas: 608
Nota: 5/5

Sinopse: O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos... Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.

Diário de Leitura

Diário de Leitura: Você me Pertence - Mary Higgins Clark #8

fevereiro 14, 2018

Esse livro estava na minha estante há séculos. E olha que eu gosto muito de Mary Higgins Clark. Enfim, finalmente ele foi lido e me surpreendeu. 

Você me Pertence  - Mary Higgins Clark
Editora: Rocco
Páginas: 284
Nota: 4/5

Sinopse: Um assassino meticuloso, calculista e sedutor mata mulheres solitárias e frustradas que viajam sozinhas. Os crimes horrorizam a imprensa e mobilizam a polícia. A dra. Susan Chandler, advogada, promotora e psicóloga, interfere casualmente nos planos do maníaco ao pôr em prática a idéia de pesquisar a respeito do tema mulheres desaparecidas no programa diário que marca sua estréia no rádio. O desenvolvimento do tema assume proporções inesperadas, com intensa participação dos ouvintes. É desta forma que os dados sobre o homicida começam a aparecer, e a dra. Chandler passa a fazer parte do círculo de morte de criminoso, cuja disposição é eliminar qualquer pessoa que represente uma ameaça aos seus propósitos.
Você me pertence é a frase que compõe a inscrição de um anel ofertado às vítimas, segundo apurações feitas no ar por Susan.
À medida que as informações vão sendo confrontadas, ela desenvolve uma forte suspeita|: o assassino pode ser um homem que se tornou uma figura importante na sua vida. Ela precisa ter certeza para não ser a próxima vítima.
Mary Higgins Clark oferece aos leitores suspense gradual e intenso, uma autêntica perseguição detalhada numa atmosfera rensa de medo.

Diário de Leitura

Diário de Leitura: A Gruta Gorgônea - Lemony Snicket #7

fevereiro 13, 2018

Mais um Diário de Leitura, hoje falando sobre A Gruta Gorgônea, o décimo primeiro livro da minha querida Desventuras em Série. Bora começar essa resenha porque aquele (ou aquela) que vacila está perdido!

A Gruta Gorgônea -  Lemony Snicket
Desventuras em Série: #11
Editora: Cia. das Letras
Páginas: 288
Nota: 4/5
Sinopse: O novo volume que dá seqüência à crônica da trágica e desgostosa vida dos irmãos Baudelaire está, como sempre, repleto de infortúnios. Aqueles que ignorarem a advertência de Lemony Snicket - que diz: "Como autor dedicado que jurou registrar a deprimente história dos Baudelaire, preciso continuar me aprofundando profundamente nas profundezas cavernosas das vidas dos órfãos. Mas você pode se aprofundar na leitura de um livro mais alegre e evitar que seus olhos e seu humor se afoguem" - encontrarão Violet, Klaus e Sunny em um tobogã, descendo as águas cinzentas do Arroio Enamorado. A situação não é das melhores: depois de resgatar Sunny das garras do Conde Olaf, os Baudelaire se vêem separados do amigo Quigley, numa jornada rumo ao pé das Montanhas de Mão-Morta.A viagem só não é mais desagradável graças à aparição do submarino Queequeg, que resgata os três das águas violentas do Arroio. Capitaneado pelo excêntrico Andarré, o minúsculo Submarino Q e sua Tripulação de Dois ainda abriga Fiona, enteada do capitão, e Phil, que já havia ajudado os Baudelaire no infeliz episódio da Serraria Alto-Astral. Em busca de um misterioso açucareiro, os seis chegam à Gruta Gorgônea, onde cogumelos venenosos e a aparição de um certo conde podem precipitar desenlaces ainda mais tristes na vida da trinca desafortunada.