Bad vibes do inferno

setembro 27, 2017

Com um título que bem poderia pertencer a um pequeno conto de terro cômico, inicio este post dizendo que meu aniversário está próximo e, como em todos os anos desde que eu consigo me lembrar, a bad começa a bater forte (esse negócio de inferno astral somente 30 dias antes da data é só com vocês, comigo começa logo com uns três meses de antecedência, mas até que esse ano chegou mais tarde já que só falta um mês e meio basicamente).


Eu sempre ODIEI fazer aniversário. Até os 13 anos, mais ou menos, era porque eu tinha aquela sensação de ter obrigações nessa data. Tipo, eu TINHA que comemorar, eu TINHA que dar uma festa, eu TINHA que receber os migos da igreja que a minha mãe frequenta, na MINHA festa não podia ter brejas e música porque ONDE JAH SE VIU OS MIGOS DA IGREJA OUVIREM ISSO? Então eu comecei a fazer a louca e dizer que não queria festa nenhuma, não saía para comemorar com ninguém, nem com os meus amigos (na verdade eu nem tinha amigos nessa época, mas né, segue o jogo) e, no final das contas, rolava um bolinho e uns salgados em casa comigo, meu pai e minha mãe "só para não passar em branco" (o primeiro aniversário assim foi o de 10 anos, sim, sofro desde cedo). Mais tarde, comecei a chamar os primos pra essa data e ai rolava uma festinha de família. Dos 14 aos 22 (coloque aqui o símbolo do infinito porque sou uma vampira pirigótica rainha das trevas) eu e meus amigos (agora sim, MEUS amigos) criamos a tradição de ir comemorar todos os fucking aniversários de todo mundo numa esfiharia. Ok, então começa a parecer que eu gosto de aniversários, mas na verdade NÃO, eu gosto de sair pra comer com meus amigo, mas, devido a uma coisa chamada "vida adulta" a gente acaba fazendo um esforço maior para se reunir nessas datas. Hoje, comemoro com mozão (ainda vamos falir de tanto que saímos pra comer), coms os meus pais e, às vezes, ainda com os primos (além do rolê das esfihas com os migos).
Quando eu fiz 20 anos, a depressão começou a bater por causa da idade mesmo. Tipo? Não tem volta, tá ligado? Daqui para frente só piora, você só fica mais adulto e tem que agir como tal e os boletos não param de chegar. Não quero.
Então, tudo isso para responder a primeira pergunta daquela TAG gigantesca sobre 50 perguntas que irão libertar a sua mente que eu trouxe pra cá outro dia. Bom, o primeiro item a ser respondido é: Quantos anos você teria, se você não soubesse quantos anos você tem?

Eu particularmente poderia ter 10 ou 55. Sim. Porque tem dias que eu sou tão responsável que pareço uma amálgama do meu pai e da minha mãe (o que realmente sou, né não?), mas, em outros, sinto que se me derem um conjunto novo da Polly Pocket e uns ursinhos eu sou capaz de passar o dia brincando no quintal. Esse negócio de idade é muito da cabeça mesmo. Tem dias que eu penso "nossa, sou muito jovem ainda (jovem ainda), tenho toda a vida para realizar meus sonhos, viajar, lançar meu livro...", ai no dia seguinte eu tô desesperada porque vou fazer 23 anos e nunca viajei pra fora do BR, não tenho emprego (apesar de ser recém-formada e ter trabalhado o ano inteiro na área - coisa que é uma grande vitória, porque não tá fácil pra ninguém), sou cobrada sobre quando e quantos filhos vou ter (??????), quando vou sair de casa, que a filha da prima de 5º grau fez pós em Harvard e agora ganha 15 mil reais por mês. GENTE PARA TUDO. É muito difícil ser jovem adulto (oi The Sims). É por isso que hoje a gente vê muito mais gente fazendo terapia ou se matando (desculpa pelas palavras, mas é a verdade). São cobranças absurdas, dá um tempinho pra gente. 

Queria ter alguma coisa motivacional para dizer, mas a real é que não tenho. Às vezes parece que eu tenho tudo bem resolvido, mas não dura nem meia hora essa sensação. Acho que o negócio é ir tocando o barco e tentar não enlouquecer no meio do caminho.



P.S. que não tem nada a ver com o post: essa semana comecei a ver pessoas curtindo as publicações de um tal de grupo LDRV (acho que é isso). Primeiro pensei que eu via porque as pessoas estavam curtindo, ai abri o grupo e vi que era "grupo fechado. GENTE, em nome de Jesus, eu nunca entrei nesse grupo, como isso é possível? Quem me enfiou ali no meio? Por que eu não saí ainda? Ok. É isso.

PAZ

Leia também

1 comentários

  1. Nossa eu fico assim também, me bate uma agonia eterna, tento ficar felizinha e tal mas NÃO, parece que todas as rayannes de dentro da minha cabeça ficam correndo com fogo no cabelo e gritando palavras desconexas em tom de terror. É horrível essa sensação de meu deus eu não fiz nada da minha vida e agora como que eu vou continuar to cada vez mais velha e com menos tempo pra fazer as coisas que quero fazer, não que você deva pensar nisso agora, desculpa, foi um comentário horrível.

    Tenta pensar no lado que você já caminhou muito pros seus sonhos e tá tudo na linhazinha que você tá seguindo, vai dar tudo certo e você ainda vai viver muito pra realizar todas essas coisas, as pessoas costumam viver até 100 anos??? Tem tempo pra caramba!

    Beijo e espero que curta um pouquinho seu aniversário <3

    Ray e os Dezoito

    ResponderExcluir

Obrigada!